“Blendle” – O iTunes do jornalismo

Imagem

“The Netherlands is now on the brink of starting another revolutionary journalistic experiment. What happens if all major publishers in a country join forces, bringing all articles written in a single country together and ensuring they are readily available in a single app, all payable from a single wallet? That’s Blendle.” Alexander Klöpping in Medium

Alexander Klöpping,co-fundador da start-up holandesa Blendle, pretende transformar a empresa, em Abril, numa plataforma género iTunes para jornais e revistas, onde cada pessoa paga pelo conteúdo que quer ler em vez de financiar uma assinatura por mês.

Deste modo, a Blendle acredita voltar a incentivar o consumidor a pagar por conteúdos online, não só pela facilidade de acesso e poder de selecção mas pela qualidade dos artigos. A empresa para além de disponibilizar histórias irá incidir sobre temas populares e relevantes e congregar artigos dos maiores jornais e revistas da Holanda.

Segundo Marten Blankesteijn, director e também co-fundador da Blendle, apesar de haver música disponível no youtube de graça, as pessoas ainda pagam pelo Spotify. Existem filmes disponíveis no Pirate Bay mas paga-se para ver no Netflix. Desse modo, o director acredita que irá sempre existir conteúdo jornalístico online gratuito mas, se os artigos forem realmente bons e diferentes, as pessoas irão pagar por eles.

A Blendle vai assim tentar atrair as pessoas a registarem-se na sua plataforma online, oferecendo a cada utilizador 2,50€ de saldo inicial para poder começar a ler artigos, com a hipótese de reembolso caso não tenha ficado satisfeito com o que leu. A questão é, será que o consumidor saberá escolher a informação que quer ler? Por vezes deparamo-nos com notícias ou reportagens que não fazíamos ideia que existiam nem de como lá chegámos. Irá a Blendle retirar esse factor surpresa, essa espontaneidade?

Contudo, ao permitir que o consumidor seleccione a sua informação e ao abranger conteúdos pertinentes e contemporâneos das melhores imprensas de comunicação holandesas, a Blendle ao tornar-se num “iTunes do jornalismo” acaba por ser uma concepção inovadora que procura o equilíbrio entre qualidade/custo e valoriza o jornalismo como práctica profissional.

“Every time we showed the beta to publishers, they realized that Blendle could make people pay for journalism who never paid for journalism before. We told them there are three groups of newspaper consumers: the group that is fan of a certain newspaper – they are happy, because they have a subscription. There is the group that wants to buy a newspaper every now and then – they’re happy too, they’ll go to a newsstand. And there is a group that just wants to read the best articles, regardless of which newspaper had published it. That group is not served right now, and we convinced publishers that they can make a lot of money from them. And we’ll help with that.” Marten Blankesteijn in World News Publishing Focus

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s