The death of an industry or the evolution of one? How journalism is being revitalized

Ben Gill é um jornalista freelancer especializado em assuntos do foro social com pouca cobertura jornalística, em especial relacionados com crianças e conflitos mundiais em geral, que escreveu recentemente sobre a ideia recorrente nos dias de hoje da “morte do jornalismo” e do “fim das notícias como as conhecemos”. A mesma máxima, proliferada essencialmente pelos profissionais da velha guarda da profissão, foi uma premissa com a qual lidou desde que enveredou pelo jornalismo, e define-a agora como uma falácia criada pelas redações atuais ao se depararem com os constantes despedimentos, com as retenções de custos ou com a constante diminuição dos recursos que veem disponíveis para o aprofundamento das reportagens.

Paralelamente a esta situação, Ben Gill conta sobre a outra face da moeda, que tanto tem danificado os métodos tradicionais até hoje tidos como suficientes. A exigência dos leitores e dos produtores de notícias levou o jornalismo numa procura por novas formas de contar histórias, que não só notificassem superficialmente os cidadãos sobre o que se passa no mundo mas também que os cativasse a entendê-las verdadeiramente.

This has left a major gap in the media, especially in terms of well-written, well-researched content, especially at the local level

Enquanto jovem estudante de jornalismo cultivou a sua motivação com a maxima “Where there’s a will there’s a way” e foi à procura do jornalismo que se faz nos nossos dias, ou que se procura fazer já em algumas partes do mundo.

“I’ve become acutely aware that not only is journalism surviving, albeit in new forms, it’s thriving”

E acabou por ir descobrindo muitas plataformas media subsidiadas por grandes empresas que iam crescendo e desenvolvendo um “nome” que um dia as creditasse como verdadeiras contadoras de histórias.

Duas delas foram a OZY e a MATTER, “who also noticed the serious lack of hard-hitting, exhaustively-researched, and well-written investigative reporting. Because this type of writing is often considered too costly and time-consuming for mainstream outlets to cover nowadays, MATTER is attempting to help fill that gap in news coverage”.

Ambas procuram atualmente ser “a casa” de um novo e refrescado jornalismo aprofundado, sério e a caminho do futuro, contando com jornalistas freelancers de todas as partes do mundo, para além de estudarem novas formas da sustentabilidade do jornalismo para além da vertente publicitária.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s