Jornalismo participativo ou do cidadão

Atualmente a Internet é o principal impulsionador do fenómeno a que chamamos jornalismo do cidadão. A web segue um rumo em que une cada vez mais pessoas e as mantém em contacto. Estar online, hoje significa estar contactável (Simão, 2010, p.163). Surge como forma de combate à censura e crítica social e já se reflete nos media tradicionais.

Sem Título

“As notícias podem acontecer em qualquer lugar e a qualquer momento, queremos que você seja os nossos olhos”. Campanha Publicitária da CNN

Entende-se por “jornalismo participativo”, o ato do cidadão ou grupo de cidadãos de desempenhar um papel ativo no processo de selecionar, reportar, analisar e divulgar noticias e/ou informações (Bowman e Willis, 2003 apud Moretzsohn, 2006, p.68).

Os blogs são o primeiro passo do Jornalismo Cidadão. É possível praticar jornalismo num blog, uma vez que este oferece duas necessidades do webjornalismo: a atualização constante e a interação com os leitores/webnautas através de links, comentários e redes sociais (Simão, 2010, p.149). É esta interação, participação e a possibilidade de publicar informação que dá ao leitor a oportunidade para o “Jornalismo do Cidadão” (Simão, 2010, p.159).

Todos sabemos que no jornalismo, não basta contar uma boa história ou captar boas imagens. O que torna diferente é a honestidade, o rigor, a isenção e a integridade, expostos no Código Ético e Deontológico do Jornalista. A profissão de jornalista exige qualificação especifica, conhecimento de determinadas técnicas e uma formação.

Penso que neste momento há uma crise de credibilidade do jornalismo e por sua vez os cidadãos decidem participar de forma mais ativa na divulgação e circulação da informação. Na década de 60, surge o Public Journalism, “uma agenda de comunicação com base na comunidade”; na década  de 70 surge o Civic Journalism, “mobilizado para dar a palavra aos cidadãos, dando prioridade à democracia direta”; mais tarde na década de 90 aumentam  os espaços para a participação do cidadão no jornalismo.

O estar sempre “online”, a facilidade das ferramentas da Web, os gadgets portáteis, smartphone ou tablet, cada vez mais eficientes, qualquer pessoa tem os meios precisos para se tornar um ativo participante na criação e produção de informação (Moretzsohn, 2006, p.67).

Fontes:

Moretzsohn, S. (2006) “O mito libertário do ‘Jornalismo Cidadão’, Comunicação e Sociedade, vol.9-10, pp.63-81

Simão, J. (2010) “Relação entre Blogs e Webjornalismo”, disponível em: prisma.com

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s